Quarta-feira, 29 de Abril de 2009

POPULAÇÃO DE RIACHOS PRECISA DE MAIS MÉDICOS

 

ABAIXO-ASSINADO

Os abaixo-assinados, moradores na Freguesia de RIACHOS, reclamam a

colocação de mais médicos na sua Extensão de Saúde, pois os clínicos ao serviço não

conseguem prestar cuidados médicos a toda a população, obrigando milhares de utentes

a deslocarem-se à Sede do Centro de Saúde, em Torres Novas. Aqui, para além dos

transtornos e dos custos da deslocação, nem sempre conseguem marcar as necessárias

consultas e contribuem para congestionar, ainda mais, os serviços, que também estão a

atender os utentes de outras freguesias sem médico.

 

publicado por usmt às 23:14
link do post | favorito
|

V I G I L I A MEIA VIA

A POPULAÇÃO DA MEIA VIA

ESTÁ FARTA DE DESCULPAS E DIZ AOS

RESPONSÁVEIS DA SAÚDE

DO CONCELHO, DA REGIÃO E DO PAÍS:

FAÇAM QUALQUER COISA

PARA RESOLVER O PROBLEMA DA FALTA

DE MÉDICOS!

RESPEITEM O DIREITO DOS CIDADÃOS A CUIDADOS DE SAÚDE

V I G I L I A

frente à Extensão de Saúde

MEIA VIA

8 de Maio de 2009 (sexta)

das 20 às 22 horas

publicado por usmt às 23:11
link do post | favorito
|

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA 27 de Abril de 2009

CRISE NÃO JUSTIFICA OS PROBLEMAS DA SAÚDE

A crise económica e financeira internacional não são desculpa para os problemas

existentes no sector da saúde. Apesar de avanços científicos e organizacionais localizados, está

cada vez mais difícil e caro o acesso a cuidados de saúde, em virtude de opções políticas erradas

do poder político. Estão neste caso a concentração e encerramento de serviços, a política de

recursos humanos e a política do medicamento.

A crise económica que o País atravessa poderá ter consequências directas na saúde das

famílias, especialmente nas mais pobres. Num futuro próximo poderão não ter dinheiro para

comprar medicamentos, as idas às consultas médicas poderão ser adiadas e, de uma forma geral,

poderá haver comportamentos violentos e riscos em termos de saúde mental. A longo prazo

poderá surgir um aumento das complicações ligadas às doenças crónicas, má alimentação e

desnutrição, e aumento de comportamentos de risco, como o consumo de drogas e álcool.

Face aos problemas os responsáveis políticos vão anunciando medidas sobre medidas

que, em alguns casos não passam de promessas, que ou não se concretizam ou são agendadas

para o futuro longínquo. Quer a apresentação de medidas, quer a concretização de mais pequena

obra merecem sempre a pompa e a circunstância, em que se gastam recursos financeiros, que

depois dizem faltar para melhorar o acesso a cuidados de saúde. Infelizmente, a realidade tem

desmentido a propaganda.

Objectivamente estão a criar-se as condições para a criação do mercado dos

cuidados de saúde, que acentuará as diferenças na Saúde entre os ricos e os pobres.

FALTAM MÉDICOS E OUTROS PROFISSIONAIS

NOS CENTROS DE SAÚDE

Ao longo dos últimos quatro anos a Comissão de Utentes interpelou várias vezes o

Ministério e os organismos dele dependentes a propósito da falta de médicos. Nos três primeiros

anos as respostas garantiam que a implementação das USF resolveriam o problema. Infelizmente,

na nossa região apenas existem duas – em Tomar – o que deixa a nu muitas das advertências

que fomos fazendo (um bom princípio, com uma má aplicação prática). Mais recentemente, e

como cada vez faltam mais médicos, as respostas para as nossas perguntas, referem que os

ACES (Agrupamentos dos Centros de Saúde) vão ser um instrumento para a resolução da

carência de clínicos.

Os próximos meses confirmarão ou não se essa nova forma de organização vai resolver os

problemas, pois que são já os Directores Executivos desses ACES (no caso concreto do ACES do

Zêzere) a dizer que é impossível resolver os problemas existentes na sua área de acção e afirma,

ainda, que a situação se vai agravar nos próximos tempos.

A situação é grave nos concelhos de Abrantes, Constância e Torres Novas. A ausência de

cuidados médicos de proximidade tem reflexos negativos nas urgências hospitalares.

O Governo, apesar da sua maioria absoluta no Parlamento, não toma qualquer medida

que minimize os impactos negativos da falta de médicos.

Repudiamos as tentativas de convencimento da opinião pública de que, em nome da

qualidade dos serviços e da racionalização dos meios, se têm de encerrar Extensões de Saúde.

ORGANIZAR O CENTRO HOSPITALAR DO MÉDIO TEJO

respeitando os interesses da comunidade envolvente

Continuamos a não saber quando será instalado o Conselho Consultivo do CHMT. Será

muito mau, como acto de gestão e de prática democrática – que implica a participação e a

transparência – que a Administração do CHMT elabore e apresente e o Ministério aprove o Plano

Estratégico do Centro Hospitalar sem ouvir a comunidade envolvente, representada no Conselho

Consultivo.

O cumprimento da lei não é uma questão facultativa, é uma obrigação. Que se está a fazer

para cumprir a lei, os Estatutos do CHMT?

A POLÉMICA DOS MEDICAMENTOS GENÉRICOS

Recentemente, as entidades privadas relacionadas com a fileira do medicamento,

representantes do médicos e os próprios organismos públicos (Infarmed e Ministério da Saúde)

entraram em polémica sobre a prescrição e troca de medicamentos de marca por genéricos. Já

por diversas vezes salientámos que as alterações às regras de comparticipação dos

medicamentos apenas tem contribuído (no global) para transferir parte da despesa do Estado

para os utentes. Em causa está o malfadado “preço de referência”.

As suas propostas defendidas, há quase uma dezena de anos, pelo Movimento de Utentes

resolveriam as polémicas e aliviariam as despesas dos utentes e do Serviço Nacional de Saúde:

Todos os medicamentos deveriam ser receitados por DCI (Denominação Comum

Internacional); as receitas de medicamentos de marca deveriam ser justificadas

clinicamente e sobre o seu valor não deveria ser aplicado o “preço de referência”; criação

da unidose; farmácias públicas nas principais unidades de saúde

havido força política para a implementação destas medidas, apesar das maiorias absolutas

existentes na Assembleia da República.

;... Infelizmente não tem

O QUE FOI FEITO

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo tem tentado por todas as formas fazer

chegar às mais diversas entidades os problemas e as propostas dos utentes para melhorar as

condições de acesso a cuidados de saúde no Médio Tejo.

Grupos Parlamentares

Pedimos reuniões a todos os Grupos Parlamentares. A CUSMT foi recebida por todos, à

excepção do Partido Socialista. Dessas reuniões resultaram vários requerimentos ao Governo,

tendo em alguns casos chegado respostas concretas, como no caso da ampliação do Centro de

Saúde do Entroncamento, cujas obras se anunciam para Maio próximo. Lembram-se as

mil assinaturas

quatroentregues no Ministério em que se reclamava o início das obras.

Autarquias

Solicitámos reuniões às Assembleias Municipais de Abrantes, de Tomar e de Torres Novas,

sobre a reorganização dos serviços do CHMT. Reunimos com a AM de Torres Novas, com a

presença de todas as forças políticas, tendo sido posteriormente aprovada por unanimidade um

documento que foi enviado ao Ministério da Saúde. Também na AM de Tomar, nos informou, de

que foi aprovada por unanimidade uma moção sobre o mesmo assunto.

Também se realizou uma reunião com a Junta de Freguesia da Meia Via, a propósito da

ausência de médico na Extensão de Saúde local.

A Câmara Municipal de Constância enviou à Comissão de Utentes um documento sobre a

prestação de cuidados médicos (que não existem em Montalvo e estão em perigo em Santa

Margarida), o qual foi enviado a diversas entidades.

Entidades do sector da saúde

No Ministério da Saúde entregámos recentemente mais de

a anulação das medidas de reorganização das urgências e das cirurgias no CHMT e fazendo

sentir a necessidade do aproveitamento integral das instalações, equipamentos e recursos

humanos no Centro Hospitalar. Esperamos a marcação da reunião solicitada.

Ao Governador Civil de Santarém (representante governamental no distrito e entidade que

amiúde aparece em eventos relacionados com o sector da saúde) já solicitámos duas reuniões e

não houve resposta.

Aos Directores Executivos dos ACES foram pedidas (por duas vezes reuniões). Estão

empossados há poucos dias, pelo que continuamos a aguardar pacientemente pela marcação das

reuniões.

8000 assinaturas reclamando

E PRÓXIMAS INICIATIVAS

Já se iniciou a

médicos para a Extensão de Saúde.

Vai realizar-se uma

de 2009 (sexta), das 20 às 22 horas,

Ainda sem data e sem forma, vamos organizar iniciativas públicas no

de Abrantes) e em

médico nas respectivas extensões de saúde.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo continuará a usar todas as “armas” da

democracia para que os direitos a cuidados de saúde sejam respeitados em

Médio Tejo

actos eleitorais.

RECOLHA DE ASSINATURAS nos RIACHOS, em que se reclama maisVIGILIA na MEIA VIA, frente à Extensão de Saúde, no dia 8 de Maiopara reivindicar a colocação de médico na Freguesia.Tramagal (ConcelhoMontalvo (no Concelho de Constância), onde as populações estão privadas detoda a Região do, encarando mesmo a hipótese de intervir como movimento de opinião nos próximos

 

publicado por usmt às 22:58
link do post | favorito
|
Sábado, 11 de Abril de 2009

ENTREGA DE ABAIXO-ASSINADO com 8175 ASSINATURAS

 

CONTESTANDO AS ALTERAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DO CENTROHOSPITALAR DO MÉDIO TEJO.

 

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo, na quarta-feira, dia 8 de Abril,  entregou no Ministério da Saúde documentos com 8175 assinaturas, solicitando a inviabilização das medidas tomadas pelo Conselho de Administração do CHMT (RETIRADA DA URGÊNCIA CIRÚRGICA dos Hospitais de Torres Novas e Tomar E DAS CIRURGIAS PROGRAMADAS dos Hospitais de Abrantes e Torres Novas) e, ao mesmo tempo, se reclama o aproveitamento integral de serviços, instalações e equipamentos.

 

 

 Recordamos que assuntos relacionados com a organização dos cuidados de saúde (quer os prestados no Centro Hospitalar quer nos Centros de Saúde) foram motivo de aprovação, por unanimidade, de documentos nas Assembleias Municipais de Tomar e Torres Novas.

 

 A Comissão de Utentes aproveita esta oportunidade para solicitar à Senhora Ministra da Saúde uma reunião com o objectivo de debater a revitalização dos serviços de saúde (de uma forma integrada) no Médio Tejo, que consideramos um factor fundamental para o desenvolvimento socio-económico da nossa região.

 

publicado por usmt às 12:18
link do post | favorito
|

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@hotmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comições

  • MUSS
  • Movimento Utentes Saúde
  • OMS
  • .Posts Recentes

    . Sobre o CHMT

    . Intervir por uma sociedad...

    . Em Janeiro, em Abrantes

    . Comissão de Utentes reune...

    . Pela sua saúde!

    . 1 Dezembro, Dia Mundial c...

    . Sobre o INFARMED (opinião...

    . Sobre as urgências no Méd...

    . A nova Direcção Nacional ...

    . 13º. EN - Declaração "Pel...

    .Arquivos

    . Dezembro 2017

    . Novembro 2017

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds