Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010

CUSMT Balanço de 2010

2010

FIZEMOS BASTANTE, MAS FICOU MUITO MAIS POR FAZER!

 

 

Face às dificuldades parece que fizemos muito, mas confrontados com os problemas na prestação de cuidados de saúde, constatamos muitas das nossas fragilidades... mas não desistimos!

publicado por usmt às 18:28
link do post | favorito
|
Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

Sobre a penicilina

A penicilina G é um antibiótico natural derivado de um fungo, o bolor do pão Penicillium chrysogenum (ou P. notatum). Ela foi descoberta em 15 de setembro de 1928, pelo médico e bacteriologista escocês Alexander Fleming e está disponível como fármaco desde 1941, sendo o primeiro antibiótico a ser utilizado com sucesso.

O nome penicilina é usado também para outros antibióticos relacionados.

A penicilina foi descoberta em 1928 quando Alexander Fleming saiu de férias e esqueceu algumas placas com culturas de microrganismos em seu laboratório no Hospital St. Mary em Londres. Quando voltou, reparou que uma das suas culturas de Staphylococcus tinha sido contaminada por um bolor, e em volta das colônias deste não havia mais bactérias. Então Fleming e seu colega, Dr. Pryce, descobriram um fungo do gênero Penicillium, e demonstraram que o fungo produzia uma substância responsável pelo efeito bactericida: a penicilina. Esta foi obtida em forma purificada por Howard Florey e Ernst Chain da Universidade de Oxford, muitos anos depois, em 1940. Eles comprovaram as suas qualidades antibióticas em ratos infectados, assim como a sua não-toxicidade. Em 1941, os seus efeitos foram demonstrados em humanos. O primeiro homem a ser tratado com penicilina foi um agente da polícia que sofria de septicémia com abcessos disseminados, uma condição geralmente fatal na época. Ele melhorou bastante após a administração do fármaco, mas veio a falecer quando as reservas iniciais de penicilina se esgotaram. Em 1945, Fleming, Florey e Chain receberam o Prémio Nobel de Fisiologia ou Medicina por este trabalho. A penicilina salvou milhares de vidas de soldados dos aliados na Segunda Guerra Mundial. Durante muito tempo, o capítulo que a penicilina abriu na história da Medicina parecia prometer o fim das doenças infecciosas de origem bacteriana como causa de mortalidade humana.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
publicado por usmt às 22:26
link do post | favorito
|
Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Hospital de Torres Novas: de 24 a 31 Dezembro só há urgência básica, por falta de médicos

Doentes vão à triagem e, fora os casos mais simples, são encaminhados para Tomar e Abrantes.

 

 

Quando houver profissionais em Torres Novas, os doentes internados regressam. Até o INEM foi contactado no sentido de desviar os doentes da Unidade de Torres Novas para as unidades de Tomar e Abrantes. No entanto, as urgências internas estão asseguradas. 

 

publicado por usmt às 19:15
link do post | favorito
|
Domingo, 26 de Dezembro de 2010

No jornal i

Ana Jorge. A dieta saudável ou a sopa da pedra

por Rute Araújo , Publicado em 25 de Dezembro de 2010  |  Actualizado há 16 horas
  
O i dedica contos de Natal a cada um dos ministros do XVIII Governo Constitucional. É uma pequena prenda nossa, própria do espírito da época. Inspirados em contos, romances ou filmes, adaptámos as histórias às nossas personagens ministeriais. Aviso: aqui a realidade e os factos vergam-se à ficção. Leia. E divirta-se.
 
Há mais de 30 anos que a Pensão Ideal recebia doentes de todo o povoado. A Alzira da perna coxa, o Joaquim do cisco no olho, o Manel do mal prolongado, a Zulmira da cabeça entre as orelhas, tanta gente em aflição que o senhor Ambrósio, encarregue das contas, tinha desistido de continuar a contar. Enquanto a Pensão estava de cabeça perdida entre somas e subtracções, o caldeirão Ideal ia ficando cada vez mais vazio. Só em batatas, a mercearia já tinha sete folhas em atraso. Um dia, a cozinheira Ana dirigiu-se para o fogão. Quando ia mexer a sopa a colher de pau fez "plock" contra o fundo. Logo agora que já se tinha metido em despesas para alimentar mais uns engripados da epidemia-que-diz-quevem-ai-mas-não-vem é que lhe ia acontecer isto. Com que cara ia dizer que não tinha sopa para o gasto? Então, a cozinheira Ana teve uma ideia. Despiu a bata branca de trabalho, agarrou no caldeirão, e foi para a rua. Chegou à primeira casa e bateu à porta do Santeira dos Tantos, o velho aldeão conhecido pela sua avareza.
– Ó vizinho, quer ver isto? Estava aqui a fazer uma sopinha da pedra, gostosa que só ela, para os meus doentinhos da pensão.
–Sopa com uma pedra? Você está a enganar quem? Olhe que eu nunca joguei no Boavista mas sou de lá perto.
–Vizinho, ouça o que lhe digo. Esta pedra que aqui tenho é mágica. Parece que já gastámos tudo e que só sobra água? Desengane-se. Junto a pedra e fica aqui uma sopa que é uma maravilha. Só com a pedra. Mas, já agora que aqui estou, não tem aí uma pitadinha de sal para temperar esta iguaria? Quem diz sal, diz uma cenourinha e uma couve. E, sem querer abusar, uma cebola, um rabanete, um chouriço.

 

 

publicado por usmt às 11:15
link do post | favorito
|
Quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

Boas Festas

 

 

BOAS FESTAS

 

 

CUIDADOS DE SAÚDE

E QUALIDADE DE VIDA PARA TODOS

 

publicado por usmt às 20:05
link do post | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

Se não fosse a oposição da população e autarcas...

TOMAR – Posto Médico da Serra «não fecha em 2011»

«Há a garantia de que, em 2011, não será equacionado qualquer encerramento do Posto Médico da Serra de Tomar». Quem o disse à Hertz foi Carlos Nunes, presidente daquela Junta de Freguesia, num balanço com uma reunião com Fernando Siborro, do Agrupamento de Centros de Saúde do Zêzere.

 

O autarca considera-se satisfeito com aquilo que ouviu mas, admite, ainda «está de pé atrás»: «Para já fiquei satisfeito, embora ainda de pé atrás. Pelo menos, o doutor Siborro disse-nos que, em 2011, não havia qualquer alteração que existe até agora e, no futuro, se isso acontecesse, seríamos os primeiros a ser informados». Carlos Nunes recuou no tempo para falar dos protestos de há alguns meses e disse que valeram mesmo a pena: «Não tenho dúvidas nenhumas! O doutor Siborro ficou muito zangado devido a essas situações e disse que houve alguma precipitação... mas acredito que se não tivéssemos feito nada, se calhar as coisas já estavam consumadas».

(in Rádio Hetz)

publicado por usmt às 19:43
link do post | favorito
|
Domingo, 19 de Dezembro de 2010

HUMOR

Com tanta pobreza, com tanta crise, com medicamentos mais caros, com menos prestações sociais, com aumento dos custos nos cuidados de saúde, com o encerramento ou diminuição de instalações e serviços, sempre em "defesa do Estado Social e do SNS", esperemos que não se chegue a esta situação...

 

publicado por usmt às 11:08
link do post | favorito
|
Sábado, 18 de Dezembro de 2010

Os responsáveis devem responder

Será verdade que, em 2010, o Centro Hospitalar do Médio Tejo vai pagar mais de 6 milhões de euros a empresas prestadoras de serviços médicos?

publicado por usmt às 16:22
link do post | favorito
|

dói, dói? trim, trim!

ARSLVT aconselha utilização da Linha de Saúde 24 e promove prioridade no atendimento a crianças entre os 1 e 12 anos nos Centros de Saúde

A sua criança está doente? Está preocupada/o? Não corra para a urgência, corra para o telefone” é o conselho da ARSLVT -Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo que pretende com esta medida promover o recurso prioritário aos cuidados de saúde primários e um uso racional das urgências hospitalares. As crianças entre os 1 e 12 anos, encaminhadas pela Linha de Saúde 24, vão ter prioridade no atendimento da doença aguda nos Centros de Saúde da Região de Lisboa e Vale do Tejo.  A ARSLVT pretende assim relembrar que nem sempre é necessário o recurso às urgências hospitalares, havendo outras alternativas que poderão dar uma resposta igualmente eficaz a situações de suspeita ou de doença nas crianças. Segundo o médico Gonçalo Cordeiro Ferreira, coordenador para a área da Pediatria da ARSLVT, “muitos dos atendimentos nas urgências pediátricas hospitalares que se verificam nesta altura do ano poderiam facilmente ser resolvidos através de aconselhamento telefónico ou, se necessário, com recurso aos cuidados de saúde primários, aliviando assim os hospitais para as situações verdadeiramente urgentes”.

 

Assim, a ARSLVT aconselha o recurso à Linha de Saúde 24, através do número de telefone 808 24 24 24 em situações de preocupação ou dúvida sobre a saúde das crianças. Por outro lado, a ARSLVT deu instruções aos serviços de atendimento dos Agrupamentos dos Centros de Saúde – atendimento permanente, atendimento complementar, consultas de recurso e outras consultas vocacionadas para o atendimento de doença aguda – para que as crianças entre os 1 e os 12 anos que sejam encaminhadas pela Linha Saúde 24 tenham prioridade no atendimento.

publicado por usmt às 11:42
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

Em dia de aumento das taxas moderadoras, uma opinião sobre a organização dos cuidados de saúde

Saúde
por Joaquim Judas
(Médico)


Saúde Sem Ideologia
Tal como acontece por todo o país, a população da nossa região tem vindo a responder ao apelo de Cavaco Silva para que, sem preconceitos ideológicos, se abra na sociedade portuguesa um debate sobre a saúde.


Mais recentemente, a população da Quinta do Conde, no concelho de Sesimbra, exige a construção do Centro de Saúde há muito adiada. Nos últimos dias, a População de Corroios, no concelho do Seixal, com cerca de mil reclamações escritas, exige que o governo dê forma à prioridade, estabelecida em 2007, para a construção do Centro de Saúde de Corroios. Ainda neste concelho, no dia 11 de Dezembro, muitas centenas de pessoas participaram na Festa promovida pela Câmara Municipal, designada de Festa de “Natal pelo Hospital no Seixal”, e, com o mesmo objectivo, de fazer cumprir o Protocolo assinado entre o Ministério da Saúde e a Câmara para a construção do Hospital, está agendada para as 11 horas do domingo, dia 19 de Dezembro, uma visita, aberta a todos os interessados, ao local previsto para a sua construção.
 
É esta a forma de “sem preconceitos” defender o direito à saúde e o Serviço Nacional de Saúde (SNS).
 
A destruição do SNS faz parte do pacote imposto por Bruxelas a Portugal e Cavaco Silva assume-se como seu promotor ao inclui-lo na sua agenda eleitoral. A manifestação de preocupação de Cavaco Silva e do PSD, PS e PP com a “sustentabilidade” do SNS, é acompanhada de medidas práticas de asfixia do SNS, que se antecipam ao “debate” que agora se diz propor.
 
Cavaco Silva sabe que a raiz dos problemas que afectam o SNS está na Lei de Bases da Saúde e no Estatuto do SNS, diplomas aprovados pelo seu governo no início dos anos 90 e mantidos pelos governos que se lhe seguiram. A promiscuidade entre público e privado, a contenção da capacidade de resposta pública, o crescimento da prestação privada financiada com dinheiros públicos, só podiam conduzir às graves distorções que o SNS formalmente instituído em 1979 actualmente apresenta. Os mesmos que hoje se escandalizam com os honorários pagos a médicos já sabiam, desde o Relatório da OCDE sobre a Saúde em Portugal, de 1998, que estes ganhavam no privado o dobro do que lhes era pago no serviço público. Entretanto um estudo sobre Recursos Humanos do Serviço Nacional de Saúde, realizado com apoio do Instituto Nacional de Administração e pela Apifarma, ao mesmo tempo que afirmava que “durante a década de 90... o aumento... dos efectivos do SNS se fez à custa de pessoal sem nomeação definitiva”, concluía contra toda a evidência que “a estrutura não dá sinais de envelhecimento”. Do que fizeram os governos ao longo de todo esse tempo e das consequências dos seus actos já se sabe. Espantosa, a sua solução de empurrar mais profissionais para fora do SNS, para não criar as instalações necessárias e de apresentar a prestação privada como remédio. O mesmo remédio que em todo o mundo se revela com piores resultados não só em termos de custos para os doentes e para o erário público como em termos de anos de vida com saúde e de esperança de vida.
 
Já se sabia que o aumento da mortalidade, como forma de destruição das forças produtivas, tem desde sempre sido um dos remédios do capitalismo para ultrapassar as suas crises sistémicas. Que a direita coloque na sua agenda do século XXI medidas que levam à sua concretização deve-nos fazer pensar e agir.
 
Em nome da vida: Viva a luta das populações em defesa do SNS!

 

(in Setúbal na Rede)

publicado por usmt às 21:27
link do post | favorito
|

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@hotmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comições

  • MUSS
  • Movimento Utentes Saúde
  • OMS
  • .Posts Recentes

    . SEC MUSP SANTARÉM: preocu...

    . TOMAR: É preciso melhorar...

    . ORÇAMENTO 2018: exigência...

    . 12 de Outubro, Reunião da...

    . Vacine-se contra a gripe!

    . MÉDIO TEJO: Comissão Uten...

    . 1 OUTUBRO - DIA NACIONAL ...

    . 30 SETEMBRO - DIA MUNDAIL...

    . ALCANENA: iniciativa cont...

    . MÉDIO TEJO: vão chegar no...

    .Arquivos

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds