Segunda-feira, 27 de Julho de 2015

Preparar a intervenção dos utentes no Conselho Consultivo do CHMT

reun cc 1 cartaz.jpg

reun cc 2 cartaz.jpg

 

publicado por usmt às 14:00
link do post | favorito
|
Sábado, 25 de Julho de 2015

Conferência de Imprensa em TOMAR

AS POPULAÇÕES MERECEM E TÊM DIREITO

A MELHORES CUIDADOS DE SAÚDE!

 

Não há efeitos sem causas, a crise na saúde tem autores, cúmplices e impulsionadores, não “caiu do Céu aos trambolhões”. Só que em matéria de saúde, a crise significa para os utentes sofrimento, mais custos, cuidados mais longe, mais ansiedade.

 

………………………

Há alguns “mitos” sobre os serviços de Saúde que convém esclarecer:

 

Portugal é dos que menos gasta em saúde em percentagem do PIB; Não há falta de recursos humanos, apesar da emigração; Apesar das sucessivas declarações ministeriais mais de um milhão de portugueses não terá médico de família nos próximos meses, p.e. no Médio Tejo, com o triste destaque para o Concelho de Ourém, de Janeiro a Julho, os utentes sem médico de família subiram de 29 500 para 35 000; Há serviços nos cuidados primários que viram reduzidos/suprimidos os horários e, algumas vezes, mesmo nesses períodos não podem funcionar pela ausência de profissionais de enfermagem ou administrativos; A concentração de serviços não correspondeu a mais qualidade, as distâncias que doentes e familiares têm de percorrer implicam mais sofrimento físico e mais despesas, (os utentes que eram atendidos nas unidades onde foram concentrados os serviços ficaram pior com a chegada dos utentes de outras unidades) pelo que a criação do Grupo Hospitalar do Ribatejo e a aplicação da Portaria 82/2014, não resolverá qualquer problema; A solução para os problemas existentes não está na privatização/municipalização de serviços de saúde. Os países que optaram pela contratualização com entidades privadas têm mais despesa e não está garantida a universalidade e qualidade dos serviços. Temos o exemplo da contratualização de serviços de saúde a privados pelo CHMT e ACES Médio Tejo, em que os profissionais nem comparecem e/ou não asseguram a qualidade e proximidade exigidas.

a1.jpg

 

 

Apesar de sucessivas declarações ministeriais e de outros responsáveis prometendo “o paraíso” para os próximos anos, aumenta o fosso que separa a propaganda da realidade.

……………………..

 

Em reunião com o Conselho de Administração do CHMT foi-nos solicitado o contributo para a criação de um “bom ambiente/paz/normalidade”, como sendo um dos factores cruciais para a contratação de médicos, processo que ainda decorre.

 

Por mais incrível que possa parecer, nos dias e semanas imediatos, foram os próprios responsáveis governamentais e as unidades de saúde a contribuírem para a “ideia cinzenta” que existe sobre o CHMT.

 

Factos que não podem ser imputados aos utentes e que afastarão alguns profissionais: Ausência de um Plano Estratégico assumido e do conhecimento da comunidade; anúncio da criação do Grupo Hospitalar do Ribatejo, com concentração de serviços e deslocação de trabalhadores; anúncio de medidas excepcionais de contratação de profissionais muito acima das publicitadas; manutenção e colocação de serviços em instalações sem condições logísticas; recorrente divulgação da prestação de maus cuidados de saúde em alguns episódios de doença;   a aposta continuada (e para continuar) na desvalorização salarial de profissionais de saúde altamente qualificados.

 

O Governo e as unidades de saúde especializaram-se na publicação de anúncios de abertura de concursos para médicos. Pode funcionar em tempos eleitorais, mas não tem resolvido os problemas de acesso e da qualidade dos cuidados de saúde às populações.

…………………

 

As estruturas de utentes apresentam as seguintes propostas (a maioria delas subscritas por dezenas de milhares de cidadãos e enunciadas pelos autarcas, alguns deputados e movimento sindical e outras entidades):

 

No CHMT: Existência e melhoria do funcionamento das especialidades com mais procura, como sejam a URGÊNCIA; MEDICINA INTERNA, CIRURGIA e PEDIATRIA.

 

Distribuição equilibrada e valorização das especialidades existentes, como a UROLOGIA, OFTALMOLOGIA.

 

Articulação entre os diversos níveis de cuidados de saúde (primários, hospitalares, continuados).

 

Melhorar os serviços de transporte nas urgências e nas ligações inter-hospitalares. “A porta de entrada deve ser a porta de saída”.

 

Corrigir os critérios de financiamento das Unidades de Saúde, assegurando a gestão pública, eficiente e eficaz numa perspectiva de médio prazo, para evitar o aumento da despesa e haver efectivos ganhos em saúde.

 

Adopção de medidas excepcionais e temporárias de contratação de médicos, enfermeiros e outros profissionais, para o CHMT e para os Centros e Extensões de Saúde. Aquisição e operacionalidade de Unidades Móveis de Saúde.

 

Funcionamento regular e cumprimento das atribuições legais do Conselho de Comunidade do ACES e do Conselho Consultivo de CHMT.

 

Recusa da constituição do Grupo Hospitalar do Ribatejo e da aplicação da Portaria 82/2014.

 

……………………..

 

A grande maioria da população (mesmo aquela que tem sido bem servida) não concorda com a actual organização dos cuidados de saúde. A continuar a política de saúde deste Governo, aumentará a ansiedade e o sofrimento de utentes e familiares perante os episódios de doença e perder-se-á a confiança no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Tem de haver mudanças! Cada utente tem um voto, que o pode utilizar nas próximas eleições para defender cuidados de saúde de proximidade e qualidade.

 

Comissão de Utentes dos Serviços Públicos

do Concelho de TOMAR

 

COMISSÃO DE UTENTES DA SAÚDE do MÉDIO TEJO

 

 

 

Tomar, 23 de Julho de 2015.

publicado por usmt às 12:38
link do post | favorito
|

Pedida reunião à Câmara Municipal de Ourém

cusmt ourem 1.png

 

 

Exmo. Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Ourém

 

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo apoia todas as iniciativas populares e institucionais que tenham como objectivo a conquista da prestação de cuidados de saúde de proximidade e qualidade.

 

Apesar de considerarmos que devem ser debatidas as implicações para os utentes das características geográficas do (ou parte) do Concelho de Ourém e da organização dos serviços de saúde, a CUSMT é da opinião que é urgente melhorar os cuidados no Centro e Extensões de Saúde do Concelho de Ourém, com mais meios humanos e, também, com unidades móveis de saúde (há muito prometidas).

 

A melhoria da prestação da prestação de cuidados de saúde passa também pela alteração radical das urgências dos hospitais de Tomar e Torres Novas, assim como a reabertura de serviços como a Medicina Interna, a articulação com os Centros de Saúde e a valorização das especialidades existentes.

 

Depois de estarmos presentes na Concentração de 10.7.2015, solicitamos uma reunião a Va. Exa. com o objectivo de trocarmos informações sobre a temática da organização dos cuidados de saúde no Concelho e na Região.

 

Com os melhores cumprimentos.

 

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo

cusmt ourem 2.png

 

publicado por usmt às 11:55
link do post | favorito
|
Quarta-feira, 22 de Julho de 2015

ABRANTES: Conferência Imprensa

AS POPULAÇÕES MERECEM E TÊM DIREITO

A MELHORES CUIDADOS DE SAÚDE!

 

Não há efeitos sem causas, a crise na saúde tem autores, cúmplices e impulsionadores, não “caiu do Céu aos trambolhões”. Só que em matéria de saúde, a crise significa para os utentes sofrimento, mais custos, cuidados mais longe, mais ansiedade.

 

………………………

Há alguns “mitos” sobre os serviços de Saúde que convém esclarecer:

 

Portugal é dos que menos gasta em saúde em percentagem do PIB; Não há falta de recursos humanos, apesar da emigração; Apesar das sucessivas declarações ministeriais mais de um milhão de portugueses não terá médico de família nos próximos meses, p.e. no Médio Tejo, com o triste destaque para o Concelho de Abrantes, de Janeiro a Julho, os utentes sem médico de família subiram de 29 500 para 35 000; Há serviços nos cuidados primários que viram reduzidos/suprimidos os horários e, algumas vezes, mesmo nesses períodos não podem funcionar pela ausência de profissionais de enfermagem ou administrativos; A concentração de serviços não correspondeu a mais qualidade, as distâncias que doentes e familiares têm de percorrer implicam mais sofrimento físico e mais despesas, (os utentes que eram atendidos nas unidades onde foram concentrados os serviços ficaram pior com a chegada dos utentes de outras unidades) pelo que a criação do Grupo Hospitalar do Ribatejo e a aplicação da Portaria 82/2014, não resolverá qualquer problema; A solução para os problemas existentes não está na privatização/municipalização de serviços de saúde. Os países que optaram pela contratualização com entidades privadas têm mais despesa e não está garantida a universalidade e qualidade dos serviços. Temos o exemplo da contratualização de serviços de saúde a privados pelo CHMT e ACES Médio Tejo, em que os profissionais nem comparecem e/ou não asseguram a qualidade e proximidade exigidas.

 

Apesar das sucessivas declarações ministeriais e de outros responsáveis prometendo “o paraíso” para os próximos anos, aumenta o fosso que separa a propaganda da realidade.

……………………..

 

000002.jpg

 

Em reunião com o Conselho de Administração do CHMT foi-nos solicitado o contributo para a criação de um “bom ambiente/paz/normalidade”, como sendo um dos factores cruciais para a contratação de médicos, processo que ainda decorre.

 

Por mais incrível que possa parecer, nos dias e semanas imediatos, foram os próprios responsáveis governamentais e as unidades de saúde a contribuírem para a “ideia cinzenta” que existe sobre o CHMT.

 

Factos que não podem ser imputados aos utentes e que afastarão alguns profissionais: Ausência de um Plano Estratégico assumido e do conhecimento da comunidade; anúncio da criação do Grupo Hospitalar do Ribatejo, com concentração de serviços e deslocação de trabalhadores; anúncio de medidas excepcionais de contratação de profissionais muito acima das publicitadas; manutenção e colocação de serviços em instalações sem condições logísticas; recorrente divulgação da prestação de maus cuidados de saúde em alguns episódios de doença;  

a aposta continuada (e para continuar) na desvalorização salarial de profissionais de saúde altamente qualificados.

 

O Governo e as unidades de saúde especializaram-se na publicação de anúncios de abertura de concursos para médicos. Pode funcionar em tempos eleitorais, mas não tem resolvido os problemas de acesso e da qualidade dos cuidados de saúde às populações.

…………………

 

As estruturas de utentes apresentam as seguintes propostas (a maioria delas subscritas por dezenas de milhares de cidadãos e enunciadas pelos autarcas, alguns deputados e movimento sindical e outras entidades):

 

No CHMT: Existência e melhoria do funcionamento das especialidades com mais procura, como sejam a URGÊNCIA; MEDICINA INTERNA, CIRURGIA e PEDIATRIA.

 

Distribuição equilibrada e valorização das especialidades existentes, como a MATERNIDADE em Abrantes.

 

Articulação entre os diversos níveis de cuidados de saúde (primários, hospitalares, continuados).

 

Melhorar os serviços de transporte nas urgências e nas ligações inter-hospitalares. “A porta de entrada deve ser a porta de saída”.

 

Corrigir os critérios de financiamento das Unidades de Saúde, assegurando a gestão pública, eficiente e eficaz numa perspectiva de médio prazo, para evitar o aumento da despesa e haver efectivos ganhos em saúde.

 

Adopção de medidas excepcionais e temporárias de contratação de médicos, enfermeiros e outros profissionais, para o CHMT e para os Centros e Extensões de Saúde. Aquisição e operacionalidade de Unidades Móveis de Saúde.

 

Funcionamento regular e cumprimento das atribuições legais do Conselho de Comunidade do ACES e do Conselho Consultivo de CHMT.

 

Recusa da constituição do Grupo Hospitalar do Ribatejo e da aplicação da Portaria 82/2014.

 

……………………..

 

A grande maioria da população (mesmo aquela que tem sido bem servida) não concorda com a actual organização dos cuidados de saúde. A continuar a política de saúde deste Governo, aumentará a ansiedade e o sofrimento de utentes e familiares perante os episódios de doença e perder-se-á a confiança no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Tem de haver mudanças! Cada utente tem um voto, que o pode utilizar nas próximas eleições para defender cuidados de saúde de proximidade e qualidade.

 

Comissão de Utentes dos Serviços Públicos

do Concelho de ABRANTES

 

COMISSÃO DE UTENTES DA SAÚDE do MÉDIO TEJO

 

 

 

Abrantes, 22 de Julho de 2015.

publicado por usmt às 21:53
link do post | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Julho de 2015

10 Julho, PROTESTO em OURÉM

Nota da CUSMT:

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo apoia todas as iniciativas populares e institucionais que tenham como objectivo a conquista da prestação de cuidados de saúde de proximidade e qualidade.

Apesar de considerarmos que devem ser debatidas as implicações para os utentes das características geográficas do (ou parte) do Concelho de Ourém e da organização dos serviços de saúde, a CUSMT é da opinião que é urgente melhorar os cuidados no Centro e Extensões de Saúde do Concelho de Ourém, com mais meios humanos e, também, com unidades móveis de saúde (há muito prometidas).

A melhoria da prestação da prestação de cuidados de saúde passa também pela alteração radical das urgências dos hospitais de Tomar e Torres Novas, assim como a reabertura de serviços como a Medicina Interna, a articulação com os Centros de Saúde e a valorização das especialidades existentes.

Marcaremos presença na Concentração de 10.7.2015 e apelamos à presença de todos os interessados na melhoria da prestação de serviços de saúde.

 

0000 ourem.jpg

 

publicado por usmt às 17:38
link do post | favorito
|
Domingo, 5 de Julho de 2015

SANTARÉM, 13 de Julho

0000 cartaz.jpg

 

publicado por usmt às 17:17
link do post | favorito
|

"Uma verdadeira dor de cabeça"

00001.jpg

 

publicado por usmt às 17:16
link do post | favorito
|

Um movimento aberto à participação de todos

reun cusmt cartaz.jpg

reun tomar cartaz.jpg

 

publicado por usmt às 17:14
link do post | favorito
|

Articular serviços de saúde, dando a primazia aos cuidados primários

00003.jpg

 

publicado por usmt às 17:12
link do post | favorito
|

Vence quem mais resiste!

00 moção.jpg

00 foto2.jpg

 

publicado por usmt às 17:07
link do post | favorito
|

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@hotmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comições

  • MUSS
  • Movimento Utentes Saúde
  • OMS
  • .Posts Recentes

    . Sobre o CHMT

    . Intervir por uma sociedad...

    . Em Janeiro, em Abrantes

    . Comissão de Utentes reune...

    . Pela sua saúde!

    . 1 Dezembro, Dia Mundial c...

    . Sobre o INFARMED (opinião...

    . Sobre as urgências no Méd...

    . A nova Direcção Nacional ...

    . 13º. EN - Declaração "Pel...

    .Arquivos

    . Dezembro 2017

    . Novembro 2017

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds