Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

Petição sobre o CHMT em análise na Assembleia da República

TOMAR – Afinal, não houve votação relativamente à petição

Afinal, não houve qualquer votação relativamente à petição que pede a suspensão da reestruturação do Centro Hospitalar do Médio Tejo. O documento chegou, nesta quinta-feira, à reunião de plenário mas, para surpresa da própria comitiva que viajou de Tomar até Lisboa, as diversas bancadas da Assembleia da República disseram de sua justiça em relação às pretensões dos 7553 peticionários... sendo que se ficou sem saber se a referida petição foi aprovada ou não.

Aliás, a delegação tomarense lamentou não ter sido informada sobre a existência de um período antes da ordem do dia, o que fez com que cerca de meia centena de pessoas (alguns desistiram pelo meio) tivessem que aguardar nas bancadas do parlamento mais de quatro horas para ouvir as considerações das diferentes forças. Carina João Oliveira, deputada do PSD, eleita no distrito de Santarém, começou por usar da palavra, não hesitando em fazer a defesa da reestruturação do Centro Hospitalar do Médio Tejo, posição que não deixou de provocar algum desconforto nas bancadas uma vez que a social-democrata era a relatora do processo. Baseando-se apenas em números, Carina João Oliveira recuou no tempo e classificou como «má decisão» a construção de três hospitais no Médio Tejo, não deixando de alertar para os «61 milhões de euros de dívida só a fornecedores externos», para além de «35 milhões de euros negativos de capitais próprios». A deputada do PSD sublinhou, ainda, que a urgência vai ficar em Tomar e que se houver registo para erros nesta reestruturação «que se corrijam». A Assembleia da República TV fez a transmissão da reunião e registou, dessa forma, as principais intervenções.

António Filipe (PCP) - Depois de Carina João Oliveira, saliência para a intervenção de António Filipe, da bancada do Partido Comunista, nome que sempre acompanhou, bem de perto, todo este processo. O deputado fez questão de alertar para os gastos que as pessoas têm que fazer perante a instalação de portagens: «O processo de reorganização do Centro Hospitalar do Médio Tejo traduziu-se, afinal, no processo de desorganização da vida as pessoas abrangidas por este centro. Os utentes, em vez de serem atendidos nos serviços a que sempre recorreram, agora têm de andar de trás para a frente na A23, com as portagens recentemente colocadas. A população de Tomar está entre as mais sacrificadas, mas não são as únicas. Todos os utentes do Médio Tejo foram negativamente afectados por estas mexidas. O grupo parlamentar do PCP acompanhou de perto este processo e sempre manifestou grande preocupação quanto às consequências em relação ao acesso à saúde».

João Semedo (BE) - Registo, depois, para as restantes intervenções das diferentes bancadas. Em declarações reproduzidas pela Assembleia da República TV, João Semedo, do Bloco de Esquerda, disse que a reestruturação não teve por objectivo melhorar os cuidados de saúde: «Esta reestruturação não teve por objectivo melhorar os cuidados de saúde, mas sim resolver a situação deficitária em que o hospital se encontrava. Aliás, a senhora deputada, na sua intervenção, não foi capaz de elencar um aspecto positivo da reestruturação. O que a senhora deputada disse é que se pouparam 16 milhões de euros. Eu ainda não avalio as unidades de saúde pela poupança mas sim pela qualidade dos serviços prestados. Os peticionários deste documento têm toda a razão. Era necessário parar para pensar. E mudar para melhor».

Idália Serrão (PS) - Seguiu-se Idália Serrão, do Partido Socialista. A deputada, eleita por Santarém, saudou a comitiva tomarense, como aliás fizeram todas as bancadas, e não deixou de dar uma alfinetada a Miguel Relvas, ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares e ainda presidente da Assembleia Municipal de Tomar, assinalando a ausência do governante na delegação nabantina. Relativamente à petição propriamente dita, Idália Serrão disse que o PS respeita a pretensão dos aderentes mas alertou que a interrupção da suspensão iria colocar em causa a prestação de cuidados no Médio Tejo: «O Partido Socialista respeita a pretensão dos eleitos da Assembleia Municipal de Tomar para que se suspenda, de imediato, o processo de reorganização do Centro Hospitalar do Médio Tejo, alterando igualmente e de imediato a classificação referente ao serviço de urgência no Hospital Distrital de Tomar, passando a adoptar a classificação de serviço de urgência médico-cirúrgica. Manifestamos, por conseguinte, nesta fase, a interrupção proposta possa vir a colocar em causa uma prestação de cuidados de saúde de qualidade e uma distribuição equilibrada dos recursos nos concelhos de Abrantes, Torres Novas e Tomar. Mas não ignoramos aqueles que são os problemas do Hospital de Tomar. Por isso dizemos que este processo não poderá colocar em causa a qualidade dos serviços prestados à população do concelho de Tomar».

Margarida Netto (CDS) - Do lado do CDS/PP, como se esperava, surgiu total concordância em relação à reestruturação, sendo que a deputada Margarida Netto, do distrito de Santarém, fez ainda questão de dizer que a sua bancada compreendeu os transtornos causados: «O CDS não deixa de compreender os transtornos que a reestruturação possa ter causado. No entanto, a manutenção desgarrada da anterior situação teria custos muito significativos. Manter a duplicação de serviços seria ofensivo numa altura em que se podem tantos esforços aos portugueses».

José Luís Ferreira (Verdes)- A última intervenção da noite foi da autoria de José Luís Ferreira, dos Verdes, que chamou a atenção para as gravosas consequências que a reestruturação provoca nas populações: «Chamámos a atenção para as gravosas consequências que as alterações iriam provocar nas populações. A medicina interna foi retirada, houve redução na urgência, houve extinção de metade das camas no hospital de Tomar, houve a extinção de cerca de uma centena de postos de trabalho... O Governo virou as costas às pessoas. É inaceitável».

2012-10-12 18:28:11 (Rádio Hertz)
publicado por usmt às 20:24
link do post | favorito

Sofrimento agravado

União Humanitáira de Doentes com Cancro

Há doentes oncológicos sem dinheiro para  comer

por Lusa, texto publicado por Paula  Mourato<input ... >Hoje<input ... >

Há doentes oncológicos sem dinheiro para comer

A União Humanitária dos Doentes com Cancro  alertou hoje para a existência de doentes oncológicos sem dinheiro para comer,  uma situação que agrava a sua condição física já debilitada pela doença e pelos  efeitos dos tratamentos.

O alerta da associação surge a propósito do Dia Mundial da Alimentação,  assinalado a 16 de outubro, que lembra ainda a importância da alimentação na  prevenção do cancro e na melhoria do prognóstico do doente oncológico.

"Muitos doentes têm dificuldades económicas. O pouco apetite que têm, não têm  dinheiro para comer", disse à agência Lusa Cláudia Costa, psicóloga da  associação.

"Estamos a passar uma fase muito complicada e as pessoas não têm dinheiro  para se alimentar e os doentes oncológicos precisam, mais ainda, de uma  alimentação mais equilibrada e uma vida saudável", sustentou.

Cláudia Costa contou à Lusa que já foi a casa de vários doentes levar comida,  "mas está a ser cada vez mais difícil porque cada vez há menos donativos" para  associação de solidariedade social e de beneficência, sem fins lucrativos, "mas  tentamos sempre ajudar quando nos pedem".

"Há outro tipo de doentes que não têm dificuldades económicas, mas não têm  apetite devido à doença e aos tratamentos", comentou.

Cláudia Costa lembrou que os doentes oncológicos têm de ter muito cuidado com  a alimentação.

"O cancro e a malnutrição são duas condições que estão frequentemente  associadas, seja pelas alterações fisiológicas resultantes da doença, seja pelos  efeitos colaterais do tratamento, como a cirurgia, a quimioterapia e a  radioterapia, sendo fundamental realizar uma adequada intervenção nutricional - fator que deve ser encarado como um complemento fundamental ao tratamento",  explicou.

Uma alimentação correta pode prevenir o desenvolvimento de certos tipos de  cancro e aumentar a capacidade de resposta do organismo e contribuir para a  evolução positiva da doença, após diagnóstico.

"É, pois, fundamental um estado nutricional adequado que ajude a prevenir  complicações e outras doenças, a otimizar a qualidade de vida do doente nos  vários estádios da doença, a aumentar a resposta e tolerância aos tratamentos e  a obter alta hospitalar mais cedo. Verifica-se que, na maior parte dos casos, as  necessidades nutricionais dos doentes oncológicos são superiores às da população  em geral", acrescentou.

Dados mostram que a desnutrição afeta 40 a 80 por cento dos doentes  oncológicos, e que a maioria dos familiares e amigos, destes pacientes, não  sabem como lidar com o problema, apesar de reconhecerem que as carências  alimentares, decorrentes do cancro, são graves ou muito graves.

publicado por usmt às 20:22
link do post | favorito

É hoje!

...

publicado por usmt às 14:10
link do post | favorito

in Saúde SA

Auditoria aos hospitais do SNS     

O ministro da saúde, Paulo Macedo, anunciou em Fevereiro a realização de auditorias externas aos 10 maiores hospitais do SNS por um auditor escolhido entre as empresas internacionais de referência do sector. link
O grupo parlamentar do PS quer, agora, saber dos relatórios da entidade externa que terá  passado a pente fino as contas dos referidos hospitais.
Sobre esta charada, ousamos adiantar:
a) A auditoria não foi realizada;
b) A auditoria foi realizada, mas o relatório não foi entregue por falta de pagamento;
d) A auditoria foi realizada e o relatório entregue. Paulo Macedo decepcionado com as conclusões aferrolhou-o na gaveta;
e) A auditoria foi realizada e o relatório entregue, mas Manuel Teixeira opôs-se à sua divulgação
f) A montanha, mais uma vez, pariu um rato-
 
 
 
 
Auditoria aos hospitais do SNS (2)     
O ministro da saúde, Paulo Macedo, anunciou em Fevereiro 2012 a realização de auditorias externas aos 10 maiores hospitais do SNS. link
Sobre o desfecho desta auditoria avançamos várias hipóteses.
E acertámos à primeira: Segundo o Jornal Público de hoje, o ministro da saúde confirmou "que pediu auditorias externas aos dez maiores hospitais" (caixa ao lado) link
Falta saber, se à data da conclusão das referidas auditorias, Paulo Macedo ainda é ministro da Saúde . Ou ministro das finanças de um qualquer governo de salvação nacional. Deste Portugal cada vez mais parecido com a Grécia. Vocação: Auditorias, resmas de investigações de casos de fraude. O fraque continua a assentar a Paulo Macedo como uma luva.
publicado por usmt às 07:55
link do post | favorito

A 15 de Novembro, no CHMT

...

 

http://www.chmt.min-saude.pt/

publicado por usmt às 07:53
link do post | favorito
Quinta-feira, 11 de Outubro de 2012

Hoje, quinta-feira, no Distrito de Santarém

...

publicado por usmt às 07:49
link do post | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2012

A importância de um dia, nos dias que correm.

...

publicado por usmt às 21:05
link do post | favorito
Terça-feira, 9 de Outubro de 2012

Ir à Assembleia da República na quinta-feira

TOMAR - Câmara disponibiliza autocarros para a presença na Assembleia da República

É já na próxima quinta-feira, a partir das 15 horas, que irá discutir-se, em Assembleia da República, a petição que pede a suspensão da reestruturação que tem sido levada a cabo no Centro Hospitalar do Médio Tejo. Este processo já se arrasta desde Fevereiro último, altura em que uma delegação tomarense entregou, nas mãos de António Filipe, vice-presidente da Assembleia, mais de sete mil assinaturas.

Muitos meses passaram, muita polémica pelo meio também, de tal forma que a dita reestruturação já está em fase muito avançada, ou seja, a medicina interna e a despromoção da urgência, de que os nabantinos tanto reclamavam e reclamam, são serviços que já estão concentrados em Torres Novas e Abrantes, respectivamente, pelo que a votação desta petição nesta altura de pouco poderá valer. Tudo aponta, dessa forma, para que PSD e CDS-PP votem contra as intenções dos aderentes, sendo que o PS também deverá seguir pelo mesmo caminho ou, então, optar pela abstenção. Os previsíveis votos a favor da CDU e do Bloco de Esquerda não irão chegar para o cumprimento dos desejos nabantinos. Refira-se que a Câmara Municipal de Tomar disponibiliza os dois autocarros para que os diferentes membros das forças políticas do concelho possam deslocar-se até Lisboa e assistir a esta votação.

(Rádio Hertz)

publicado por usmt às 21:34
link do post | favorito

Medicamentos do Ambulatório – Agosto 2012

    

O encargo do SNS com medicamentos, no período Jan-Ago 2012, foi de 797,2 milhões de euros. Uma redução de 9,4% face ao período homólogo de 2011 (879,7 milhões de euros). link
O mercado de genéricos registou, no referido período, uma redução de 20,9% em valor e um crescimento de 18,1% em volume face a igual período de 2011.
O mercado total de medicamentos, vendidos em farmácias comunitárias, diminuiu 12,1% em valor  (1 744,9 milhões de euros) comparativamente a igual período de 2011 (1 984,3 milhões de euros), tendo sofrido um aumento em volume de 2,3% (mais 3,6 milhões de embalagens).
Em resumo: comprou-se mais com menos dinheiro em função da redução dos preços e aumento do consumo de medicamentos genéricos.
publicado por usmt às 21:17
link do post | favorito
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2012

in Rádio Hertz

TOMAR – Marcha distrital contra o desemprego começa junto… ao Centro de Emprego

A Marcha Contra o Desemprego irá passar pelo concelho de Tomar no dia 11 de Outubro (quinta-feira), pelas 9h30, altura em que dezenas de pessoas irão cumprir um percurso cujo início será junto ao Centro de Emprego e o final em plena Praça da República. Esta é uma organização da CGTP-IN, sendo que a União de Sindicatos de Santarém encabeça a coordenação distrital e o concelho de Tomar foi o escolhido para o arranque da marcha em pleno Ribatejo devido ao elevado número de insolvências que tem registado durante os últimos anos.

Numa conferência de imprensa que contou com as presenças de Manuel Martins, da Concelhia local da CDU, Filipe Vintém, membro da Assembleia Municipal na bancada do Bloco de Esquerda, e de Rui Aldeano, destaque para as palavras deste último, que é o coordenador da União de Sindicatos de Santarém. Foram apresentados números relativos ao desemprego no distrito, sendo que em Tomar, por exemplo, há dados que apontam para 2580 pessoas sem trabalho: «No distrito de Santarém, em Julho, a taxa de desemprego em relação ao mês homólogo, cresceu 29,8% e, em Agosto, 28,5%, sendo calculado que o número real de desempregados seja de 28 mil. No que diz respeito a Tomar, calcula-se que no mês de Agosto o desemprego tenha atingido sensivelmente 2580 pessoas, números enormes se tivermos em conta a população activa do concelho». Rui Aldeano não deixou, ainda, de focar alguns exemplos recentes de empresas que fecharam portas ou que têm passado por maus momentos. E, com efeito, do concelho de Tomar houve registo para várias citações: «Falamos do Portugal onde empresas como a Citaves, IFM-Platex, Unimármores, Marfrel, Citaves, Metalúrgica de São Lourenço, Martifer, Tegael, Jumbo de Santarém e a Univer, encerraam ou reduziram postos de trabalho entre muitas outras pequenas empresas que não conseguem resistir a tanta austeridade e a esta política de empobrecimento. Esta é a hora de dar a palavra aos desempregados, de mostrar que os trabalhadores querem trabalhar e que cada trabalhador desempregado, a cada dia que passa sem emprego é mais um dia de angústia e de incerteza». Como sublinhado, a Marcha Contra o Desemprego irá passar pelo distrito de Santarém no dia 11 de Outubro, sendo que Tomar, Entroncamento e Benavente foram os concelhos escolhidos. Rui Aldeano explicou porquê: «Pretendemos que esta marcha saísse de Tomar pois este é um concelho que até há bem pouco tempo foi muito industrializado e que, num espaço de três anos, tem sofrido um grande número de insolvências com as consequências que isso tem provocado para a população e para o desenvolvimento concelhio. Pretendemos hoje, e mais que tudo, apelar a todos os que passam pela situação de desemprego, os que têm amigos ou familiares nessa situação, aos precários ou até aqueles que ainda não conseguiram o seu emprego, que venham para a rua mostrar que o desemprego não é uma questão de números mas sim de pessoas e das suas vidas. A CGTP-IN preocupa-se com todos os trabalhadores empregados ou desempregados e pretende dar voz a todos e nesse sentido está a promover uma grande Marcha Nacional contra o Desemprego, que começou a 5 de Outubro e irá decorrer até ao dia 13. Esta marcha deve ser de todos, dos desempregados, dos jovens à procura do primeiro emprego, dos precários, dos trabalhadores que aguardam pelas suas indemnizações há longos anos e até daqueles que hoje têm emprego mas que não sabem o dia de amanhã».

publicado por usmt às 21:00
link do post | favorito

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@hotmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comições

  • MUSS
  • Movimento Utentes Saúde
  • OMS
  • .Posts Recentes

    . T NOVAS, 15 maio - Recolh...

    . A intervenção das populaç...

    . 22 maio - DIA MUNDIAL CON...

    . 19 maio - REUNIÃO DA COMI...

    . 17 maio - DIA MUNDIAL HIP...

    . 8 MAIO - DIA MUNDIAL CANC...

    . 19 maio - DIA MUNDIAL DO ...

    . 12 maio - DIA INTERNACION...

    . Festejar o 1º. Maio

    . Nota de Imprensa, 26 abri...

    .Arquivos

    . Maio 2021

    . Abril 2021

    . Março 2021

    . Fevereiro 2021

    . Janeiro 2021

    . Dezembro 2020

    . Novembro 2020

    . Outubro 2020

    . Setembro 2020

    . Agosto 2020

    . Julho 2020

    . Junho 2020

    . Maio 2020

    . Abril 2020

    . Março 2020

    . Fevereiro 2020

    . Janeiro 2020

    . Dezembro 2019

    . Novembro 2019

    . Outubro 2019

    . Setembro 2019

    . Agosto 2019

    . Julho 2019

    . Junho 2019

    . Maio 2019

    . Abril 2019

    . Março 2019

    . Fevereiro 2019

    . Janeiro 2019

    . Dezembro 2018

    . Novembro 2018

    . Outubro 2018

    . Setembro 2018

    . Agosto 2018

    . Julho 2018

    . Junho 2018

    . Maio 2018

    . Abril 2018

    . Março 2018

    . Fevereiro 2018

    . Janeiro 2018

    . Dezembro 2017

    . Novembro 2017

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds