Domingo, 30 de Outubro de 2022

A23 e A13, «fundamentais no acesso a cuidados de saúde»,

Quem anda na A13 e A23 paga o dobro da A1" - SIC Notícias 

Médio Tejo. Utentes só vão parar de exigir o fim das portagens quando estas acabarem

AbrilAbril

 

Depois do alerta aos eleitos no Parlamento, a Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Médio Tejo lança um abaixo-assinado para exigir a abolição das portagens nas auto-estradas A23 e A13. 

A moção, a enviar ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, segue-se ao apelo feito, no passado dia 17, aos deputados da Assembleia da República para, «com carácter de urgência», abordarem a questão durante a discussão do Orçamento do Estado para 2023.

As portagens na A23 e na A13, duas ex-scut (vias sem custos para os utilizadores) constituem um transtorno à mobilidade de pessoas e bens. «São um entrave ao desenvolvimento social e económico. Não contribuem para a coesão territorial. Potenciam os problemas ambientais nas zonas urbanas e afectam a segurança rodoviária», denuncia-se no texto.

Apesar de, salienta a comissão de utentes, estas serem vias «fundamentais no acesso a cuidados de saúde», uma vez que as três unidades que constituem o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) se encontram em três cidades diferentes, Abrantes, Tomar e Torres Novas.

Na missiva enviada aos deputados, a comissão fazia também referência aos custos acrescidos no transporte de doentes não urgentes, lembrando que os bombeiros «são obrigados a pagar portagens» quando transportam doentes entre os três hospitais.

Os utentes realçam que foram os protestos das populações que «forçaram a redução do preço» das portagens, ao mesmo tempo que lembram as palavras proferidas em Maio pela ministra da Coesão Territorial, de que só ficaria satisfeita com a abolição das portagens no Interior. E acrescentam: «E nós não descansaremos enquanto não se concretizar a abolição das portagens na A23 e na A13». 

Manuel José Soares, porta-voz dos utentes do Médio Tejo, disse à Lusa que, até ao final da próxima semana, o abaixo-assinado vai ser colocado em pelo menos 150 locais para a recolha de assinaturas.

Os preços das portagens nas auto-estradas poderão aumentar 10,46% em 2023, a confirmar-se a estimativa da taxa de inflação homóloga para Outubro, sem habitação, divulgada esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 


Com agência Lusa

publicado por usmt às 08:22
link do post | favorito
Sábado, 29 de Outubro de 2022

Novo concurso para preenchimento vagas médicos de família

22 medicos nconcurso.jpg

publicado por usmt às 09:54
link do post | favorito

ERS reclamações

Entidade Reguladora de Saúde 

https://www.ers.pt/pt/utentes/reclamacoes/

Nesta área, encontra informação e formulários para poder exercer o seu direito a reclamar, caso entenda que um estabelecimento prestador de cuidados de saúde não atuou de forma adequada. Através dos formulários, pode também apresentar uma sugestão ou um elogio.

As reclamações, sugestões e elogios podem ser apresentadas através do preenchimento do livro de reclamações em formato físico, em formato eletrónico quanto a prestadores do setor privado, social e cooperativo, e diretamente à ERS, por carta ou através do formulário disponível nesta página.

Previamente à apresentação da sua reclamação, saiba quais os seus direitos e deveres na apresentação de uma reclamação , e saiba como deve reclamar, consultando o folheto informativo e as perguntas frequentes com informação útil para melhor exercer o seu direito a reclamar.

Nesta área, pode ainda aceder a informação sobre o estado em que se encontra uma reclamação, sugestão ou elogio (processo REC).

É, também, disponibilizada informação estatística quadrimestral, individualizada e comparativa sobre processos REC monitorizados pela ERS. Os dados disponibilizados têm por base a informação recolhida através do Sistema de Gestão de Reclamações (SGREC) da ERS.

publicado por usmt às 09:29
link do post | favorito

30 outubro - DIA NACIONAL PREVENÇÃO DO CANCRO DA MAMA

22 cancro mama.jpg

publicado por usmt às 09:21
link do post | favorito

SAÚDE: ... afinal nos privados (29)

SBSI - Implante dentário

Aguarda resposta
 82446822
 13
Ricardo Silva apresentou a reclamação

Reclamei a 22/09/2022 por deficiência do serviço prestado e apenas recebi uma resposta automática, afirmando que o meu caso está a ser analisado.
publicado por usmt às 09:19
link do post | favorito

29 outubro - DIA MUNDIAL AVC

22 avc.jpg

publicado por usmt às 08:29
link do post | favorito
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2022

Sobre a produção e comercialização de medicamentos

https://www.abrilabril.pt/nacional/industria-farmaceutica-submete-o-estado-sua-lei

Indústria farmacêutica submete o Estado à sua lei

AbrilAbril

 

O Ministro da Saúde veio a público dizer que a despesa pública do Estado com medicamentos cresce a um ritmo de 10% ao ano. As farmacêuticas impõem a lógica do «quero, posso e mando».

Poucos ou quase nenhum Estado tem a capacidade de se ver livre das indústrias farmacêuticas. Os avanços tecnológicos e investigativos no que a este sector diz respeito são na sua esmagadora parte detidos pelas grandes empresas, levando à propriedade de patentes exclusivas e à consequente dependência dos Estados que assumam a Saúde como uma das suas funções sociais. 

O que foi referido pelo Ministro da Saúde não é mentira. De facto, os Estados gastam mesmo muito dinheiro na compra de medicamentos e efectivamente a despesa cresce a um ritmo de 10% ao ano. Manuel Pizarro chama-lhe «um capitalismo estranho», mas, no entanto, é o capitalismo a funcionar na sua forma mais pura. 

Na lógica das «contas certas» o ministro afirma que «temos que conter a despesa pública», o que é até algo curioso num Governo que se prepara para dar borlas fiscais aos grandes grupos económicos. Nesse sentido, o ministro que tem a pasta da saúde quer partir para a negociação com as farmacêuticas sem dizer necessariamente como negociará.

A verdade é que pelo menos a sua exigência corresponde à lógica de como a submissão funciona, uma vez que, se por um lado pretende baixar o preço de alguns medicamentos, por outro, pretende aumentar os preços dos medicamentos com um preço excessivamente baixos. A razão para este último é muito simples. Por serem excessivamente baixos, as farmacêuticas podem parar a sua produção pois tendo um outro medicamento semelhante, mas com um preço mais, esse compensa mais. 

O problema nesta negociação está na dependência. Poucos ou quase nenhum Estado tem a capacidade de negociar olhos no olhos com as farmacêuticas, pois ao final do dia são elas que têm tudo do seu lado. A solução para contrariar isto não é simples. Pode-se por um lado aumentar a produção do Laboratório Nacional do Medicamento, e por outro, fixar instigadores de modo a aumentar a produção científica em prol dos interesses do Estado. O problema é que para um caso e para o outro é necessário níveis de investimento que consigam rivalizar com as multinacionais da área farmacêutica, algo que é bastante difícil. 

Só para se ter uma ideia, a Hovione, farmacêutica portuguesa que até ao ano passado era a única produtora mundial de um excipiente essencial para a produção de um antiviral necessário para a produção de medicamentos autorizados para o tratamento da covid-19, tem mais de 500 patentes registadas. Isto não é por acaso. A Hovione é também a maior empregadora privada de doutorados em Portugal, tendo dois mil trabalhadores, dos quais 300 são investigadores. É o próprio CEO da Hovione, Guy Villax, que diz: "As excelentes universidades portuguesas permitem-nos recrutar grandes técnicos». Ou seja, a escolha, para esses investigadores, passa por viver com uma Bolsa de Investigação Científica e consequentemente na incerteza, ou ter bons salários. 

Feitas as contas, a preocupação do Ministro da Saúde, apesar de justa não passa disso mesmo, uma vez que no Orçamento do Estado não constam medidas para combater, nem que seja timidamente, esta dependência. Passa por acender uma vela e esperar que as negociações com os Golias corram bem. 

publicado por usmt às 15:34
link do post | favorito

ASSENTIS, 13 novembro - Encontro com a população para debate da prestação de cuidados de saúde

22 assentis cartaz.jpg

publicado por usmt às 15:31
link do post | favorito

Última oportunidade para se inscrever nas IV Jornadas Templárias de Psiquiatria do CHMT

https://www.chmt.min-saude.pt/noticias/ultima-oportunidade-para-se-inscrever-nas-iv-jornadas-templarias-de-psiquiatria-do-chmt/

As IV Jornadas Templárias de Psiquiatria de Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) realizam-se já na próxima semana, nos dias 3 e 4 de novembro.

Este evento vai reunir em Tomar mais de uma centena de especialistas em Saúde Mental para um alargado debate científico sobre os desafios futuros da Saúde Mental.

O primeiro dia será dedicado a Workshops e o segundo a dia será dedicado a apresentações científicas e debates. As temáticas abordadas são muito variadas e centradas na atualidade: a autogestão emocional na infância, musicoterapia, exercício físico e relação com saúde mental, mindfullness, disforia de género, o uso da canábis, impacto(s) da pandemia por Covid-19 na saúde mental infantojuvenil e a questão do suicídio.

Workshop 3 e 4
 

Hoje damos-lhe conta das temáticas do terceiro e quarto Workshop:

O terceiro Workshop – Exercício Físico e Relação com Saúde Mental – estará a cargo dos médicos internos de Medicina Física e de Reabilitação do CHMT, Claúdia Dinis e Pedro Maciel. Pretende-se demonstrar os benefícios do exercício físico, que para além de melhorar a condição física, proporciona incremento no bem-estar biopsicossocial.

A evidência científica demonstra que o exercício regular é benéfico para a saúde mental. Potencia a melhoria no controlo do stress, ansiedade, depressão, demência e, também, na cessação tabágica. Apesar dos comprovados benefícios, ainda não foi atingida a sua total implementação no nosso dia-a-dia.

O quarto Workshop – Mindfullness – será ministrado por José Pinto-Gouveia – médico psiquiatra e Professor Catedrático Jubilado e Bárbara Monteiro, Psicóloga Clínica e membro da Associação Portuguesa para o Mindfulness. Abordará a prática de Mindfulness – que é a prática de estar intencionalmente consciente do que está a acontecer na nossa vida, dentro e fora de nós, com aceitação e sem julgamento – e a sua utilização na psicoterapia e saúde mental.

Clique aqui, para aceder a mais informações, ao programa completo das Jornadas e ao link de inscrição.

 

publicado por usmt às 15:29
link do post | favorito

Pela sua saúde! Cuidado com os acidentes na apanha da azeitona

22 apanha azeitona.jpg

publicado por usmt às 15:27
link do post | favorito

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@gmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comissões

    MUSS Movimento Utentes Saúde OMS

    .Posts Recentes

    . 1março - Dia Mundial da P...

    . Médio Tejo mantém CIRURGI...

    . Medida entra em vigor a p...

    . 13 março - Reunião Comiss...

    . 3 março - Dia Mundial AUD...

    . 29 fevereiro 2024 - Dia M...

    . MÉDIO TEJO: Doc Conferênc...

    . 4 março, reunião CUSMT na...

    . MÉDIO TEJO: Ponto situaçã...

    . E na Coreia do Sul...

    .Arquivos

    . Março 2024

    . Fevereiro 2024

    . Janeiro 2024

    . Dezembro 2023

    . Novembro 2023

    . Outubro 2023

    . Setembro 2023

    . Agosto 2023

    . Julho 2023

    . Junho 2023

    . Maio 2023

    . Abril 2023

    . Março 2023

    . Fevereiro 2023

    . Janeiro 2023

    . Dezembro 2022

    . Novembro 2022

    . Outubro 2022

    . Setembro 2022

    . Agosto 2022

    . Julho 2022

    . Junho 2022

    . Maio 2022

    . Abril 2022

    . Março 2022

    . Fevereiro 2022

    . Janeiro 2022

    . Dezembro 2021

    . Novembro 2021

    . Outubro 2021

    . Setembro 2021

    . Agosto 2021

    . Julho 2021

    . Junho 2021

    . Maio 2021

    . Abril 2021

    . Março 2021

    . Fevereiro 2021

    . Janeiro 2021

    . Dezembro 2020

    . Novembro 2020

    . Outubro 2020

    . Setembro 2020

    . Agosto 2020

    . Julho 2020

    . Junho 2020

    . Maio 2020

    . Abril 2020

    . Março 2020

    . Fevereiro 2020

    . Janeiro 2020

    . Dezembro 2019

    . Novembro 2019

    . Outubro 2019

    . Setembro 2019

    . Agosto 2019

    . Julho 2019

    . Junho 2019

    . Maio 2019

    . Abril 2019

    . Março 2019

    . Fevereiro 2019

    . Janeiro 2019

    . Dezembro 2018

    . Novembro 2018

    . Outubro 2018

    . Setembro 2018

    . Agosto 2018

    . Julho 2018

    . Junho 2018

    . Maio 2018

    . Abril 2018

    . Março 2018

    . Fevereiro 2018

    . Janeiro 2018

    . Dezembro 2017

    . Novembro 2017

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds