Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2022

E em 2023...

22 boas festas.jpg

publicado por usmt às 10:16
link do post | favorito

A nossa homenagem e reconhecimento aos trabalhadores dos serviços públicos

população.jpg

No documento aprovado no

9º. Enc Distrital MUSP SANTARÉM (8)

20   TRABALHADORES EM SERVIÇOS PÚBLICOS

Caracterização: Manifestar gratidão aos trabalhadores que “vestem a camisola” do Serviço Público. Eles, com a sua disponibilidade, o seu saber e o seu espírito de sacrifício, contribuem para serviços públicos de proximidade e qualidade, valorizando a qualidade de vida dos cidadãos. Na generalidade os trabalhadores das entidades prestadoras de serviços (públicas, privadas e sociais) auferem baixos rendimentos mensais. Uma parte desses trabalhadores enfrentam condições de trabalho de elevada perigosidade e insalubridade.

Reivindicações: Apoiar as reivindicações dos trabalhadores para melhorar a proximidade e qualidade dos serviços públicos. Apoiar a sua luta pela melhoria das suas condições de trabalho e contratuais. Exigência de mais recursos humanos, condição base para a humanização dos serviços públicos.

 

Publicada por musp dist santarém

publicado por usmt às 10:14
link do post | favorito
Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2022

OPINIÃO Hora de balanço

https://www.abrilabril.pt/nacional/hora-de-balanco

por DUARTE CALDEIRA

Hora de balanço

Saúde, Educação, custo de vida são alguns exemplos de um país adiado, onde crescem os ricos e cresce também o número de homens e mulheres, velhos e jovens, lançados na pobreza ou no limiar desta.

 

De acordo com a tradição, que nesta matéria ainda é o que era, eis-nos na reta final de um ciclo de 365 dias, com o ímpeto de fazermos um balanço, mesmo que sumário, do período que agora se conclui.

 

Para este exercício podemos convocar qualquer condição, pessoal ou profissional, mas desembocamos sempre numa outra, porventura menos visível, mas determinante de todas as demais, ou seja, a de cidadãos de um país e do mundo. É nesta condição que alinho esta reflexão.

 

Passando um olhar atento sobre 2022, nele encontramos acontecimentos marcantes, dos quais, com rigor e honestidade, não nos podemos desviar.

 

A pandemia da Covid-19 e as suas centenas de milhares de vítimas mortais constitui um acontecimento, transitado de 2020, que marcou de forma dramática uma significativa parte do mundo. Porém, para além do drama humano provocado por esta emergência sanitária, importa ainda fazer o balanço demográfico, social, económico e político da pandemia, tanto no mundo como no nosso país, sem esquecer as fragilidades, perversidades, desigualdades e aproveitamentos por ela revelados, bem como o extraordinário exemplo de empenho profissional e solidário de muitas profissões e profissionais, tantas vezes com o risco da sua própria segurança e, até, da sua vida.

 

«Chegados ao final de 2022, a situação do país fala por si.»

 

 

A guerra manteve uma constante presença em diversas latitudes do mundo. Na Síria, Sudão, Somália, Afeganistão, Iémen, Moçambique, Iraque, Palestina, Nigéria, República Centro-Africana e na Ucrânia, desenrolam-se ondas irracionais de destruição e de morte, alimentadas pelos interesses geoestratégicos de grandes potências e pela voracidade dos lucros da indústria de armamento.

 

No plano interno, destaca-se o resultado das eleições legislativas de janeiro de 2022, das quais resultou a maioria absoluta do PS.

 

Chegados ao final de 2022, a situação do país fala por si. O Serviço Nacional de Saúde apresenta debilidades que estão a pôr em risco o funcionamento e a solidez desta importante conquista da Revolução de Abril; o Sistema de Educação tem milhares de professores precários e sem a justa dignificação da função docente; a inflação e o aumento do custo de vida estão a «comer» os salários e as pensões de milhões de portugueses; a contaminação do ambiente político do país, provocado pela sucessão de casos e casinhos envolvendo membros do Governo, contribui para a degradação da nossa democracia e para a promoção, nomeadamente mediática, dos seus adversários.

 

«Importa confiar na capacidade de resistir de forma organizada a este inventário de problemas e de debilidades da nossa Democracia, reforçando a intervenção das forças democráticas, dos sindicatos, do movimento associativo, das autarquias, das universidades e dos centros de conhecimento, dos artistas e dos cidadãos em geral [...]»

 

 

Estes são apenas alguns exemplos de um país adiado, onde crescem os ricos e cresce também o número de homens e mulheres, velhos e jovens, lançados na pobreza ou no limiar desta.

 

Às portas de 2023, o que esperar do novo ano?

 

Para esta pergunta, a resposta de sempre. Importa confiar na capacidade de resistir de forma organizada a este inventário de problemas e de debilidades da nossa Democracia, reforçando a intervenção das forças democráticas, dos sindicatos, do movimento associativo, das autarquias, das universidades e dos centros de conhecimento, dos artistas e dos cidadãos em geral, com propostas de medidas que criem condições para o desenvolvimento do país e para o bem-estar dos trabalhadores e do povo português.

 

Este é o caminho. A História diz-nos que não há outro, seja em 2023 como em todos os demais anos da nossa vida, individual e coletiva.

 

Determinação, firmeza de convicções, coragem interventiva, seriedade de propósitos e confiança no presente e no futuro, são palavras que significam formas de estar na sociedade, em Portugal e no mundo. Significam também, projetos de vida, nesta hora de balanço às portas de um novo ano.

 

Caros leitores, que este seja o vosso plano de ação para os próximos 365 dias.

 

publicado por usmt às 21:28
link do post | favorito
Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2022

Alteração dos CENTROS VACINAÇÃO no ACES Médio Tejo

centro vacinação.jpg 

Considerando que a Campanha de Vacinação de Outono 2022 terminou no passado dia 17 de dezembro e que todos os utentes elegíveis já foram agendados, prevê-se que a partir de janeiro de 2023, o número de utentes a vacinar contra a Covid 19 e Gripe seja bastante reduzido.

Assim, informa-se que no dia 30 de dezembro encerrarão os CVC de grandes dimensões que ainda se encontram em funcionamento, designadamente os CVC de Torres Novas, no Palácio dos Desportos, o CVC de Tomar, no Pavilhão Jacôme Ratton (sede do Sporting de Tomar) e o CVC Abrantes, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Abrantes.

Em alternativa, abrirão CVC de pequenas dimensões nas várias unidades funcionais em janeiro de 2023.

ABRANTES:

  1. CVC UCSP Abrantes  funcionará no polo de Alferrarede, às terças e quintas de manhã. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na UCSP de Abrantes (sede e polos);
  2. CVC USF D Francisco de Almeida funcionará na Unidade Funcional, às sextas-feiras à tarde. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na USF D Francisco de Almeida;
  3. CVC USF Beira Tejo funcionará na sede da USF, sita em Rossio ao Sul do Tejo, às terças-feira à tarde e vacinará todos os utentes elegíveis inscritos nesta USF (sede e polos);

TOMAR:

  1. CVC UCSP Tomar funcionará no polo de Sabacheira, às terças e quintas de manhã. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na UCSP de Tomar (sede e polos);
  2. CVC USF Marmelais funcionará na Unidade Funcional, às sextas-feiras à tarde. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na USF Marmelais;
  3. CVC USF Santa Maria de Tomar funcionará na sede da USF, sita em edifício da Nabancia, às quartas e quintas-feira à tarde e vacinará todos os utentes elegíveis inscritos nesta USF (sede e polo);

TORRES NOVAS:

  1. CVC UCSP Torres Novas, funcionará na sede, sita no edifício da Parceta de Entre Águas, às sextas de manhã. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na UCSP de Torres Novas (sede e polos);
  2. CVC USF Almonda funcionará na unidade funcional, às terças-feiras de manhã. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos na USF Almonda;
  3. CVC USF Cardilium funcionará na unidade funcional, às quartas-feira à tarde e vacinará todos os utentes elegíveis inscritos nesta USF;
  4. CVC USF Nove Torres funcionará na unidade, em Riachos, às terças-feira à tarde. Vacinará todos os utentes elegíveis inscritos nesta USF.

Mantêm-se abertos todos os CVC que já funcionavam nas Unidades funcionais, designadamente CVC Ourém, CVC Fátima, CVC Alcanena, CVC Entroncamento, CVC Constância, CVC Barquinha, CVC Mação, CVC Sardoal e CVC Ferreira do Zêzere.

 

Assim, a partir de janeiro estarão a funcionar 19 CVC no ACES Médio Tejo.

publicado por usmt às 08:45
link do post | favorito
Terça-feira, 27 de Dezembro de 2022

Natal TRÁGICO: Nove mortos e mais de 470 feridos na estrada

acidente natal.jpg 

Natal TRÁGICO: Nove mortos e mais de 470 feridos na estrada

acidentes.jpg

publicado por usmt às 08:39
link do post | favorito
Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2022

Sobre o Plano de Contingência para as MATERNIDADES...

Sobre o Plano de Contingência para as MATERNIDADES...


 

Nota do MUSP SANTARÉM: 

Receia-se que o Plano de Contingência definido pela Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos para esta época de festividades seja um ensaio para o que venha a ser a futura organização dos cuidados hospitalares. Isto é, a população fica com o acesso a outros serviços fundamentais a maiores distâncias, acarretando mais sacrifícios para utentes e familiares. 

Provavelmente em muitos casos concretos os transportes interhospitalares acarreterão maiores custos financeiros que a contratação dos profissionais necessários.

..................

 

 

 

Encerramento de urgências de obstetrícia em Lisboa é uma medida paliativa que restringe o acesso das utentes a cuidados de saúde

 
 

Foi com preocupação que a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) teve conhecimento da deliberação da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde, que determina o encerramento, aos fins de semana e rotativamente, dos serviços de urgência de obstetrícia e ginecologia de seis hospitais da Área Metropolitana de Lisboa. Para a FNAM, esta medida é uma ação paliativa que em nada vai contribuir para resolver a situação a médio e longo prazo.

Vários serviços de urgência têm encerrado de Norte a Sul do país, em diferentes períodos do ano, por falta de médicos. Assim, a prioridade imediata do Ministério da Saúde e da Direção Executiva deveria ser a adoção de medidas que contribuam para estancar a saída de médicos do SNS, nomeadamente a valorização salarial dos médicos e a melhoria transversal das suas condições de trabalho.

Na tomada de posse como Diretor Executivo, Fernando Araújo defendeu ser necessário criar condições para os profissionais de saúde «poderem evoluir e equilibrar a vida profissional com a familiar». Infelizmente, perante esta situação, preferiu ouvir as administrações e direções de serviço dos hospitais, ignorando os médicos, os restantes profissionais de saúde e os autarcas.

Com esta deliberação, a Direção Executiva do SNS vem reconhecer a forma precária de funcionamento de várias urgências de ginecologia e obstetrícia, assumindo a sua incapacidade para garantir a continuidade da sua atividade regular, e normalizando o encerramento de serviços, o que é totalmente inaceitável para a FNAM. 

E, muito embora se possa argumentar que esta medida pode dar alguma previsibilidade às utentes e manter o funcionamento de algumas destas urgências, a FNAM considera que ela é meramente pontual e paliativa, não podendo prolongar-se no tempo nem estender-se a outras valências dos serviços de urgência sob pena de serem adiadas as medidas de fundo que permitam resolver a situação.

O encerramento continuado de serviços representa uma amputação da garantia do acesso a cuidados de saúde prestados pelo SNS, em clara violação da sua missão e valores, o que a FNAM não poderá aceitar em nenhuma circunstância, bastando já os graves transtornos e entraves sofridos pelas utentes, parturientes e suas famílias.

É o Ministério da Saúde que dispõe da capacidade e dos meios para resolver esta situação, de forma a dar um novo ímpeto ao SNS, recentrando-o no seu papel fundamental de serviço público prestador de cuidados de saúde de qualidade, garantindo o acesso aos mesmos a toda a população.

 



 

 
publicado por usmt às 10:52
link do post | favorito
Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2022

4 janeiro, Reunião da Comissão de Utentes

23 cartaz reun.jpg

publicado por usmt às 20:36
link do post | favorito

... no Hospital Curry Cabral, um hospital público integrado no Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central.

publicado por usmt às 12:49
link do post | favorito
Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022

20 dezembro - foi o DIA INTERNACIONAL DA SOLIDARIEDADE HUMANA

solidariedade humana.jpg

publicado por usmt às 13:06
link do post | favorito

O CHMT ESTÁ A RECRUTAR ENFERMEIROS/AS

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), que integra os Hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, está a recrutar enfermeiros/as.

As candidaturas decorrem até ao próximo dia 4 de janeiro de 2023 e podem ser encaminhadas para o email: recrutamento2@chmt.min-saude.pt.

Recrutamento Enfermeiros_dezembro 2022
 

Saiba mais sobre este processo de contratação aqui.

publicado por usmt às 12:24
link do post | favorito

.USMT:Quer nos Conhecer?

  • O que somos
  • Oque fazemos
  • O que defendemos
  • .Vamos criar a Associação de Defesa dos Utentes da Saúde

  • Saber Mais
  • .Leia, Subscreva e Divulgue a Petição ao Senhor Ministro da Saúde Sobre as Novas Taxas Moderadoras Para Internamentos e Cirurgias

  • Petição Movimento de Utentes da Saúde
  • .USMT Mail:

    usaudemt@gmail.com

    .Abaixo-Assinado

  • Queremos Médicos na Meia Via, Ribeira e Pedrógão
  • .pesquisar

     

    .Jornais Regionais On-Line

  • O Templário
  • Cidade de Tomar
  • O Mirante
  • O Ribatejo
  • Torrejano
  • Almonda
  • O Riachense
  • Entroncamento On-Line
  • Notícias de Fátima
  • .Organizações & Comissões

    MUSS Movimento Utentes Saúde OMS

    .Posts Recentes

    . março 2003 – março 2023 2...

    . Acidentes de trabalho: 12...

    . Cientistas dizem que plan...

    . 15 fevereiro - Reunião da...

    . Preparar a reunião com AC...

    . Preparar a reunião com o ...

    . Reduzir o risco de CANCRO

    . ACES Médio Tejo - PREVENÇ...

    . Serviço de Obstetrícia em...

    . Maternidades INTERMITENTE...

    .Arquivos

    . Fevereiro 2023

    . Janeiro 2023

    . Dezembro 2022

    . Novembro 2022

    . Outubro 2022

    . Setembro 2022

    . Agosto 2022

    . Julho 2022

    . Junho 2022

    . Maio 2022

    . Abril 2022

    . Março 2022

    . Fevereiro 2022

    . Janeiro 2022

    . Dezembro 2021

    . Novembro 2021

    . Outubro 2021

    . Setembro 2021

    . Agosto 2021

    . Julho 2021

    . Junho 2021

    . Maio 2021

    . Abril 2021

    . Março 2021

    . Fevereiro 2021

    . Janeiro 2021

    . Dezembro 2020

    . Novembro 2020

    . Outubro 2020

    . Setembro 2020

    . Agosto 2020

    . Julho 2020

    . Junho 2020

    . Maio 2020

    . Abril 2020

    . Março 2020

    . Fevereiro 2020

    . Janeiro 2020

    . Dezembro 2019

    . Novembro 2019

    . Outubro 2019

    . Setembro 2019

    . Agosto 2019

    . Julho 2019

    . Junho 2019

    . Maio 2019

    . Abril 2019

    . Março 2019

    . Fevereiro 2019

    . Janeiro 2019

    . Dezembro 2018

    . Novembro 2018

    . Outubro 2018

    . Setembro 2018

    . Agosto 2018

    . Julho 2018

    . Junho 2018

    . Maio 2018

    . Abril 2018

    . Março 2018

    . Fevereiro 2018

    . Janeiro 2018

    . Dezembro 2017

    . Novembro 2017

    . Outubro 2017

    . Setembro 2017

    . Agosto 2017

    . Julho 2017

    . Junho 2017

    . Maio 2017

    . Abril 2017

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2017

    . Dezembro 2016

    . Novembro 2016

    . Outubro 2016

    . Setembro 2016

    . Agosto 2016

    . Julho 2016

    . Junho 2016

    . Maio 2016

    . Abril 2016

    . Março 2016

    . Fevereiro 2016

    . Janeiro 2016

    . Dezembro 2015

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    . Junho 2015

    . Maio 2015

    . Abril 2015

    . Março 2015

    . Fevereiro 2015

    . Janeiro 2015

    . Dezembro 2014

    . Novembro 2014

    . Outubro 2014

    . Setembro 2014

    . Agosto 2014

    . Julho 2014

    . Junho 2014

    . Maio 2014

    . Abril 2014

    . Março 2014

    . Fevereiro 2014

    . Janeiro 2014

    . Dezembro 2013

    . Novembro 2013

    . Outubro 2013

    . Setembro 2013

    . Agosto 2013

    . Julho 2013

    . Junho 2013

    . Maio 2013

    . Abril 2013

    . Março 2013

    . Fevereiro 2013

    . Janeiro 2013

    . Dezembro 2012

    . Novembro 2012

    . Outubro 2012

    . Setembro 2012

    . Agosto 2012

    . Julho 2012

    . Junho 2012

    . Maio 2012

    . Abril 2012

    . Março 2012

    . Fevereiro 2012

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Novembro 2011

    . Outubro 2011

    . Setembro 2011

    . Agosto 2011

    . Julho 2011

    . Junho 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Março 2011

    . Fevereiro 2011

    . Janeiro 2011

    . Dezembro 2010

    . Novembro 2010

    . Outubro 2010

    . Setembro 2010

    . Agosto 2010

    . Julho 2010

    . Junho 2010

    . Maio 2010

    . Abril 2010

    . Março 2010

    . Fevereiro 2010

    . Janeiro 2010

    . Dezembro 2009

    . Novembro 2009

    . Outubro 2009

    . Setembro 2009

    . Agosto 2009

    . Julho 2009

    . Junho 2009

    . Abril 2009

    . Fevereiro 2009

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Novembro 2008

    . Outubro 2008

    . Setembro 2008

    . Agosto 2008

    . Julho 2008

    . Junho 2008

    . Maio 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    . Agosto 2007

    . Julho 2007

    . Maio 2007

    . Abril 2007

    . Março 2007

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Outubro 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds